Alma contraditória

Palavras não matam fome
mas escrevo para não amar/ amando sem saber falar/
seco lágrimas que nunca me viram chorar/ sinto uma inundação de rios alheios em mim descarregar suas dores sem fim/ o peso do mundo cabe a mim/ o mendigo das palavras com aspas/ carrego correntes de enchentes/ preso nesse mar/ vivo a mendigar

Amor com Vinho

(via oxigenio-dapalavra)

oxigenio-dapalavra:

Eu não aceito chegar aos cinquenta anos deitado em um divã e perseguido por fantasmas, sem saber se é a velhice no horizonte ou a mente pouco sã, repetindo a mesma ladainha que tantas vezes recitei bêbado às mulheres que me acharam fraco, como um manco fazendo cooper no deserto, andando nos…

“Eu amo você oito dias por semana.”
The Beatles.     (via auroriar)

(via auroriar)

“Que as cidades se iluminem à noite.
Minha jornada está realizada; abandono a Europa. A aragem
marinha queimar-me-á os pulmões; os climas perdidos tostar-me-ão.
Nadar, mordiscar ervas, caçar, fumar, sobretudo; beber licores fortes como chumbo derretido, - qual faziam esses queridos antepassados em volta do fogo”
— Uma estação no inferno, Arthur Rimbaud, (via oxigenio-dapalavra)

(via oxigenio-dapalavra)

Última colisão

minha catástrofe foi acreditar
que por detrás dos teus versos
havia um sentimento indestrutível

Elisa Bartlett

(via oxigenio-dapalavra)